Getúlio fala sobre possível rivalidade com Raniel no VASCO e Zé Ricardo pode barrar medalhão

A vitória sobre o Brusque na quinta-feira da semana passada abriu ampliou o horizonte do Vasco no setor ofensivo, que pode ter mudanças para a partida contra o Grêmio. Getúlio, que vinha de uma atuação ruim atuando na ponta direita, entrou bem no segundo tempo e deu assistência para o gol de Nenê. Escolhido ao lado de Gabriel Pec para dar entrevista nesta segunda, na reapresentação da equipe no CT Moacyr Barbosa, Getúlio contou sobre o mal-estar que o tirou da partida contra o Brusque, explicou como prefere jogar no ataque e também prometeu premiar as assistências que receber daqui pela frente.

“Se eu fizer um gol também vou dar um pix. Não de R$ 500, como o Raniel. Um pouquinho menos (risos)”. Tudo indica que Getúlio vai brigar com Raniel pela vaga de titular na equipe para a próxima partida. O Vasco enfrenta o Grêmio na próxima quinta, às 20h (de Brasília), em São Januário. – Tive uma conversa com o Zé Ricardo na semana passada. Ele também conversou com Raniel. Ele optou no último jogo pelo Raniel.

Respeito a opção dele. Ele falou que dependendo do jogo vai entrar com Raniel ou comigo – disse Getúlio, que fez dois gols na única vez em que foi escalado como centroavante: na vitória sobre o Madureira, no Carioca. “Sei jogar de ponta, joguei assim no Avaí. Mas prefiro jogar como centroavante”, completou. Sobre a disputa por vaga com Raniel, Getúlio reconheceu as diferenças entre eles: – Temos características diferentes.

O Raniel é mais de segurar a bola. Eu pressiono mais o zagueiro, saio um pouco mais. O porte físico do Raniel é melhor do que o meu. O que o Zé definir vamos acatar. Ainda não conversou conosco, estamos voltando da folga. Eu e Raniel trabalhamos no dia a dia e respeitamos um ao outro – concluiu. Veja mais da entrevista de Getúlio:

Substituição contra o Brusque – Eu tive um mal-estar. Não conseguia mais pressionar o zagueiro, como o Zé Ricardo pede. E pedi para sair.

Força da torcida – O Vasco é gigante. Onde joga sempre lota. Ainda mais em São Januário. O adversário sente a pressão. É o clube com maior torcida que já joguei. A torcida sempre apoia no Caldeirão. Desde o Carioca a torcida vem apoiando. E não vai ser diferente contra o Grêmio, que é um jogo difícil. Se Deus quiser, com o apoio da torcida, vamos conseguir o acesso à Série A. Entrevista de Getúlio, atacante do VascoEntrevista de Getúlio, atacante do Vasco SIGA-NOS  google news siga-nosgoogle news siga-nos Entrevista de Getúlio, atacante do Vasco Fonte: ge

Compartilhe isso:

TV MRNews Não perca também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.